Pesquisar este blog

domingo, 14 de novembro de 2010

O FUTURO JÁ CHEGOU- E ATENDE POR HATSUNE MIKU

Hatsune Miku- a Diva em 3D


 Tive que escrever às pressas para dar vazão à emoção e ao espanto. Eu sei que a notícia já tá bombando nos sites, e o Balaio do Gato Otaku não é um lugar para furos otakísticos.   Pra quem ainda não sabe o porquê de tanto furor, a SEGA fez o primeiro show holográfico todo em 3D com a artista pop virtual Hatsune Miku. 





Tamanho avanço tecnológico só é compreensível quando se tem noção real das coisas. Essa apresentação é um marco, um feito histórico. Ignorar Hatsune Miku é ignorar o próprio futuro, nossa própria capacidade como seres humanos.

Eu me lembro claramente do filme S1mone, com o Al Pacino. Aliás, impossível não comparar. Uma super estrela que só existia no mundo virtual, e naquela época quem assistiu o filme pensou "nossa, e se isso fosse possível hein?"

O "fosse" ficou pra trás. A SEGA transformou um futuro digno de um livro de Asimov em realidade. Um concerto de uma artista virtual totalmente em 3D é algo que aconteceu de verdade. Vi o link no youTube tantas vezes achei serem necessárias, até eu acreditar. Não consigo parar de me perguntar se é verdade mesmo ou eu estou alucinando. 

É inevitável que não se pergunte "meu deus, quando foi que o futuro chegou e eu nem vi?" . Nós estamos acostumados ao avanço da tecnologia como algo natural e até obrigatório. É claro que um processador novo tem que ser lançado em ritmo frenético. É natural que meu computador se torne obsoleto em  6 meses. "Novo I phone? Ah tá."

toca-discos "oboete imasu ka?"
Nada nos deixava surpresos ao ponto de perder a fala. Os avanços das ciências soam no máximo como um "nossa, legal né?". As facilidades que temos passam muitas vezes despercebidas, tamanha velocidade da evolução tecnológica. Há 10 anos atrás tinha tv de plasma, LCD ou LED na sua casa? 10 anos é pouquíssimo tempo na história, talvez muito se você tiver até uns 18 anos. As coisas chegam em nossas mãos tão rápido que quando damos conta, aquele aparato hi-tech já faz parte da sua vida, e você se desfez do que agora é totalmente ultrapassado e sem valia. Toca discos, videocassete, tvs antigas, micro-ondas que mais parecem tumbas de faraó, geladeiras antigas... Em 20 anos mudamos o padrão de vida, isso é fato. Mas isso virou algo tão normal que é difícil encontrar algo que faça o queixo cair mesmo.
Pelo menos o meu caiu e saiu rolando pela sala. Testemunhar o show em 3D de Mitsune Haku foi algo como sair da caverna de platão, e encontrar a luz. Um momento que definitivamente grita- o futuro chegou! O futuro chegou!

Eu nem consigo fazer comparações otakísticas da Haku, eu só vejo esse sucesso como a demonstração mais concreta da capacidade infinita do homem em evoluir tecnologicamente. Não existem barreiras, nada me parece impossível. Entraves como as mortes por certas doenças como câncer e a AIDS, ou mesmo a recuperação da mobilidade em pessoas com lesões medulares... Tudo isso parece existir apenas por uma questão de tempo. Quem em sã consciência pensaria num show 3D a 30 anos atrás? O show não foi só de tecnologia, mas sim de esperança. Uma fé quase inabalável na vitória da humanidade sobre questões hoje impossíveis. O amanhã ficou perto, projetado na frente daquele palco. Por um momento eu vi ASIMOV tornando-se plausível. A inteligência positrônica, os princípios da robótica... Quando ele escreveu seus livros, tudo era sonho e ficção. E hoje? E amanhã? O quão perto estamos de superar todas as nossas próprias expectativas em relação ao futuro?

Estou atônita. Maravilhada com os japoneses mais uma vez. São seres humanos divinos. Minhas palavras acabaram sumindo diante de tanta fascinação. Vou dormir e sonhar com um mundo holográfico. byebye.

Nenhum comentário:

Postar um comentário